terça-feira, 29 de junho de 2010

Quando aves colidem com prédios

EMBORA fosse dia, um pica-pau em pleno vôo bateu num arranha-céu e caiu no chão. A ave não viu a vidraça. Um pedestre bondoso encontrou-a atordoada e cuidou dela até que recobrasse os sentidos. Ele ficou feliz quando a ave piou, ergueu-se, eriçou suas penas e saiu voando.
Infelizmente, nem todas as aves sobrevivem a uma colisão como essa. De fato, daquelas que colidem com casas, cerca da metade morre. Pesquisas indicam que, só nos Estados Unidos, mais de 100 milhões delas morrem por ano depois de colidir com prédios de todos os tipos, diz a Sociedade Audubon. E alguns pesquisadores acreditam que esse número talvez chegue a quase 1 bilhão! Mas por que essas colisões? O que pode ser feito para impedi-las?

Nenhum comentário: