sexta-feira, 21 de maio de 2010

Que espécie de cão recomendaria para a proteção da família?

“Primeiro de tudo, deixe-me dizer-lhe que, para isso, muitos pensam em termos de um cão de ataque treinado, ou um cão de guarda. Tais cães são perigosos de se ter em casa. São treinados para ser suspeitosos e impulsivos. São como se ter uma arma em casa — o resultado, no mais das vezes, é a tragédia, em vez de proteção. Com freqüência, tais cães feriram ou até mesmo mataram crianças na vizinhança, e, às vezes, até mesmo membros de sua própria família. E, se seu cão recebeu treinamento para ataque e já mordeu alguém, você se meteu em sérias dificuldades. Se processado, poderá ser julgado criminalmente responsável. O tribunal não olha com bons olhos para os cães treinados a morder. É muito insensato ter um cão de ataque treinado ou um cão de guarda no lar.

“Caso a família tenha decidido obter um cão para proteger-se, é muito melhor considerarem o que é chamado de cão alertador — um que o alerte quanto a problemas, e soe um alarme. O melhor cão para isto é um grande, com um latido grave, que soe feroz, e assuste os intrusos, mas o cão não está treinado para morder. Tal cão é um bom elemento dissuasivo, todavia, não constitui perigo para a família ou para os vizinhos.”

Nenhum comentário: