terça-feira, 20 de abril de 2010

História Triste, Final Feliz

A seguir fomos ver uma magnífica leoa. “Eis aqui uma história triste com um final feliz”, disse Martine. “Quando era filhote, ela foi mantida numa diminuta jaula junto com um leãozinho. Quer por inanição, quer por doença, o macho morreu, e ela, para saciar a fome, pôs-se a devorá-lo. Quando o dono viu isto açoitou-a com um pedaço de tubo. Ela o atacou e ele arrancou-lhe todos os dentes a golpes. Quando aqui chegou, com seis meses, não tinha pêlos das orelhas para baixo, porque ninguém limpava sua jaula, e as assaduras provocadas pela urina e fezes causaram a perda de seus pêlos. Ela tinha uma furiosa aversão às pessoas. Ela tentaria matá-las, se se aproximassem dela. Agora está saudável e sossegada, com garras e dentes intactos — os dentes que foram arrancados eram da primeira dentição.”

Estamos agora no centro do extenso cercado. “Quantos animais vocês têm aqui?”, perguntei.

“Realmente não sei. Não quero contar. Se o fizesse poderia achar que não teria condições de alimentá-los. Vocês viram os animais de grande porte, mas temos dezenas de mapaches (ursos-lavadores), filhotes de raposas e de coiotes. E sabe-se lá quantas aves mais!”

“Vocês não rejeitam nenhum animal, não é mesmo?”

“De fato, não atendemos só os grandes. É bem visível e impressionante, mas o grosso de nosso trabalho é feito com os pequenos.”

Nenhum comentário: